23 de junho de 2015 walacy

Tecnologia mostra suas soluções para o setor de seguros

CIAB 2015 – A cidade de São Paulo recebeu o Congresso Internacional de Automação Bancária (CIAB), realizado de 16 a 18 de junho no Transamérica Expo Center. O evento, que completou 25 anos, ganhou edição comemorativa e apresentou novidades em seu formato, entre elas a inclusão do tema seguros nas trilhas técnicas.

A Revista Apólice marcou presença no CIAB 2015 e conferiu as novidades apresentadas pelas companhias expositoras do evento para o mercado securitário.

Trilha do Seguro

O auditório Ligia Clark recebeu a Trilha de Seguros, um conjunto de palestras formatadas em parceria com a CNseg, Confederação Nacional das Seguradoras. Paulo Marraccini, presidente da Fenseg – Federação das Seguradoras – disse que o Brasil é um país de contrastes, onde o seguro não era considerado uma coisa essencial. Mas quando há um evento ou catástrofe natural, a necessidade aflora. Vender seguro é importante, mas a verdadeira função social é pagar o sinistro, oferecer o beneficio, pagar o sorteio da capitalização. O segurado precisa do apoio da tecnologia na hora de receber o seu atendimento”, Gustavo Fossi, presidente do CIAB, declarou que o evento foi montado como um precursor de novidades. “Na comemoração das bodas de prata foram ampliados os temas, com objetivo de aprimoramento, tornando-o um fórum de debates ainda mais complexo. O objeto é permear todo o setor financeiro”, esclareceu.

Informação e segurança

A C&M Software destacou duas soluções voltadas ao mercado de seguros. A primeira foi o SkinBD, componente instalado entre o banco de dados da empresa e o aplicativo já utilizado por ela que acessa fontes externas (públicas ou privadas), grava a consulta e registra as informações adicionais no banco de dados da seguradora. Assim, a companhia busca auxiliar na precificação dos produtos e responder corretores com agilidade.

Já a ferramenta de autenticação de usuários Kumram trabalha com a biometria facial e pode ser utilizada em qualquer portal. “Problemas com roubo de senha acabam sendo resolvidos, pois a ferramenta mostra quem fez a autenticação, recebe o número de celular utilizado na ação e mostra a geolocalização no momento em que o usuário realizou o processo”, explicou o diretor de marketing da companhia, Almir Carrion.

Análise de risco

Rodrigo Cunha, sócio-diretor da Neurotech, disse que a participação da empresa no CIAB 2015 segue em linha com uma parceira com a CNseg, para atender ao mercado de seguros brasileiro. O principal produto apresentado no evento é a plataforma móvel de decisão para seguradoras. Há também o aviso de sinistro para smatphones e a solução para a detecção de fraudes.

Neste segmento, o destaque fica com o Autoscore, uma solução que mostra o indicativo de risco baseado em informações públicas, principalmente em relação ao roubo e furto de veículos.

Liberdade ao cliente

Empresa tradicional no armazenamento e backup de informação, a EMC² tem voltado suas atenções ao mercado securitário. “Este é um segmento que busca novas fontes de receita associado ao aumento de faturamento”, lembrou Gracco Lopes, diretor de soluções da companhia.

Para este nicho, a EMC² desenvolve soluções a partir de big datas e analytics visando o uso do maior número de informações cadastrais (CPF, RG e estado civil), críticas (renda, bens e herdeiros) e públicas (redes sociais). A ideia é realizar um cruzamento desses dados e, a partir disso, desenvolver ações para extrair valores, novas ideias e produtos que sejam melhor direcionados pra o perfil do cliente. “Acreditamos que há muita informação a ser tratada de uma forma mais sofisticada e trazer isso para uma realidade de solução combinando tecnologia, ciência do dado e ferramentas de visualização para a tomada de decisão é a nossa aposta”, disse o executivo, completando que a empresa não defende soluções fechadas. “Isso restringe a capacidade criativa do cliente. Deixamos a escolha da tecnologia ou da ferramenta a critério dele e, caso nos consulte, temos pessoas capacitadas para trabalhar nas diferentes ferramentas do mercado”.

Autenticação

Durante o CIAB 2015, a Fujitsu apresentou o ID Match, ferramenta para pagamento seguro que combina a autenticação do PalmSecure (sistema de autenticação da empresa baseado nas veias da palma da mão) ao uso de smartphones. A empresa oferece ainda sistemas que avaliam,em forma de serviço, o ambiente do cliente para verificar questões de compliance e facilitar o trabalho de auditoria. Os sistemas rodam, avaliam todo o ambiente de aplicações e a infraestrutura da seguradora, e gera relatórios nos formatos que são requeridos pelas auditorias internas e externas.

“Com isso, o processo é agilizado e os custos para se manter no compliance são reduzidos. Os valores gastos com horas de auditorias podem ser substituídos pela expansão da frequência de trabalho com o mesmo orçamento”, afirmou Antonio Guimarães, evangelista tecnológico da empresa.

Diminuindo distâncias

Camillo Perez, diretor de marketing da BRQ, explicou que a empresa oferece soluções para todas as grandes seguradoras do mercado e que, a grande novidade, é a verticalização nas vendas que está sendo iniciada pelas corretoras de seguros, principalmente nos produtos de automóvel e previdência. Ele destacou que o CIAB mostra que, cada vez mais, as companhias de seguro estão estreitando a distância de sua atuação em relação aos bancos. Ambos devem utilizar a tecnologia para dar mais conforto para o cliente durante o atendimento.

Mitigação de risco

Quem também estava entre as empresas expositoras é a Misys, que para o mercado de seguros oferece soluções tanto de investimento quanto de risco. “Uma das maiores preocupações é a parte de mitigação de risco. As empresas precisam de soluções que consigam prover uma previsibilidade maior,uma mitigação de risco maior e uma rentabilidade maior”, destacou André Akira, executivo sênior da companhia. No evento, a companhia apresentou outras soluções disponíveis no País, entre elas FusionInvest (voltada à gestão de investimentos e que gerencia todo o ciclo de vida das transações, do portfólio à gestão de riscos e compliance).

Estratégia

Os principais trabalhos desempenhados pela Deloitte no ramo de seguros estão relacionados à estratégia das companhias, na qual visa melhorar o desempenho dos negócios das empresas. Para isso, a companhia identifica as soluções tecnológicas do mercado mais adequadas para cada seguradora, verifica sua aderência junto aos sistemas e auxilia na implementação das soluções.

Segundo Renata Galdino, diretora da área de consultoria da Deloitte, a empresa também trabalha com soluções regulatórias e analytics vinculadas à tecnologia – esta última para coletar informações sobre os clientes e, assim, garantir que eles tenham os melhores produtos.

Gestão documental

Com seguradoras em seu hall de clientes, a P3Image realiza a gestão documental de empresas, fazendo diversas linhas de serviço desde o Business Process Outsourcing (BPO) – Terceirização de Processos de Negócio, na tradução –, da guarda de caixas físicos, de documentos e da guarda de mídias em sala cofre. No caso dos bancos e das seguradoras, a atuação da companhia se dá, em maior parte, na formalização de contratos de crédito. “Quando vendem o contrato de crédito, os bancos e as seguradoras não conseguem checar toda a documentação (comprovante de residência, ficha cadastral, RG, CPF). Nós realizamos esse processo de BPO: o contrato chega e é identificado através de uma etiqueta com código de barras. Depois, o formalizamos, checamos tudo o que está certo e errado, apontamos essas pendências, o digitalizamos e o guardamos fisicamente”, explica o presidente da companhia, Paulo Sérgio Carneiro.

Os dados ficam armazenados no novo portal All Store, que além de fornecer os dados destes documentos disponibiliza uma série de ferramentas para que o usuário gerencie documentações ativas ou inativas.

Atendimento

“Entendemos que o ramo de seguros está crescendo muito. Nos últimos cinco anos, passamos a focar também neste mercado e nos aproximamos mais das necessidades destes clientes”, disse Valdinei Cornatione, diretor de negócios – TI da Tivit.

A empresa fornece o suporte, a sustentação, e provê toda a parte de infraestrutura, data center e atendimento às seguradoras. “O mercado de seguros tem algumas particularidades e procuramos atendê-lo com uma equipe que conheça não só a parte de infraestrutura de sustentação, mas também os produtos oferecidos pelo segmento”.

Para Cornatione, outro ponto forte é que algumas seguradoras, a partir do Brasil, operam seguros fora do País (em unidades como Argentina, Chile e Colômbia) por meio de data centers e atendimento ao usuário – telefônico ou de campo – da empresa.

Laboratório de soluções

Com um estande que remetia ao ambiente de uma garagem, a CI&T mostrou seu conceito de viabilizar experimentações. “Trouxemos o conceito de digital, de como utilizar as novas tecnologias em um modelo de baixo investimento”, informou o Head de Seguros da empresa, Vinicius Martinelli.

As soluções podem ser criadas para todos os processos de seguro, como cotadores, mobilidade, analytics, desde a estratégia até o desenvolvimento dos aplicativos. “É uma proposta de inovação com modelo de experimentação”, ressalta Martinelli. Na verdade, o mercado precisa de suporte para aprender a utilizar o imenso volume de informações para oferecer produtos corretamente ao consumidor, identificando suas necessidades e personalizando o relacionamento. “O uso correto da informação é o grande pilar da inovação”, afirmou, destacando que toda a tecnologia deve ser o suporte para prestar o melhor atendimento possível ao consumidor.

Fonte: Revista Apólice – Kelly Lubiato e Lívia Sousa

Etiquetado como:

Autor do Post

walacy Publicitário, Profissional de Marketing especialista em Digital. Formações em Design Gráfico e em Artes Gráficas. Trabalha aliando design para web com o tripé do marketing digital (SEO, SEM e Inboud Marketing).

Entre em contato conosco!

Conheça todas as nossas unidades!