23 de agosto de 2010 walacy

Bem mesmo vai o Brasil!

CRN – 23/08/2010

A BRQ tem operação nos Estados Unidos e na Espanha, mas, por enquanto, o Brasil continua sendo o pote de ouro da companhia.

A BRQ é uma reconhecida integradora no mercado nacional de TI e, em sua estratégia de crescimento orgânico, havia a possibilidade de se desenvolver fora do País. Assim, em 2003, a companhia partiu para os Estados Unidos, na época, o maior comprador de tecnologia do mundo. Lá, iniciou uma operação local, enquanto, por aqui, montava um centro para atender à filial internacional.

Com a crise financeira estourada nos Estados Unidos em 2008, a unidade local sofreu um baque – a BRQ acabara de concluir a aquisição de uma empresa norte-americana. “Foi um período de muitas indefinições. Mas, hoje, já vejo sinais de clara recuperação. Antes, tínhamos previsões astronômicas, que não se concretizaram. Na verdade, só o fato da operação ter se mantido já é considerado uma boa notícia”, revela Benjamim Quadros, presidente da empresa.

Também antes da crise, a BRQ abriu operação em Madrid, na Espanha, por conta da demanda de clientes. “Sofremos muito, a Espanha está ainda pior. Temos ainda a operação por lá, mas está difícil.”, diz. O executivo não revela números e, embora não tenha tido o retorno sobre o investimento, afirma que a BRQ não nutria expectativa de conseguir o ROI em menos de cinco anos. As recomendações de Quadros são para que o canal faça um planejamento a longo prazo, analise a cultura local e a contratação de executivos nativos.

“A primeira dificuldade com que nos deparamos foi a de que americano gosta de comprar de americano. Um brasileiro pode até vender por lá, mas o processo é bem mais lento”, afirma, ao dar outra dica: “hoje, com a minha experiência, eu já começaria com aquisição. Se eu tivesse feito isto em 2003, talvez eu não tivesse perdido cinco anos. Olhar pra trás e apontar os erros é fácil, mas o importante é ter maturidade para olhar o futuro”.

A companhia trabalhou em parceria com a Apex, Softex e Brasscom. “São parceiros que ajudam na internacionalização. Aproximar-se desses grupos é fundamental. Associese a um deles, sua função é nos promover lá fora”, diz. Além disso, a BRQ contou com a ajuda de seus parceiros Oracle e IBM.

Etiquetado como:

Autor do Post

walacy Publicitário, Profissional de Marketing especialista em Digital. Formações em Design Gráfico e em Artes Gráficas. Trabalha aliando design para web com o tripé do marketing digital (SEO, SEM e Inboud Marketing).

Entre em contato conosco!

Conheça todas as nossas unidades!